Fertilize nas redes sociais: Powermidia.net Powermidia.net
Dúvidas? ligue: (31) 99115-6484

Blog

Descongelador dinamiza o manejo reprodutivo de bovinos e reduz o número de doses por concepção

Um minuto e dez segundos é o tempo estimado para se inseminar uma vaca, considerando apenas a preparação do sêmen e sua aplicação. Quase metade deste período, 30 segundos, refere-se ao descongelamento do sêmen. Parece pouco, quando se pensa em uma única matriz. Já para quem está acostumado a lidar com dezenas ou centenas de fêmeas no manejo reprodutivo, eliminar esse meio minuto pode significar muito. Este é um dos benefícios oferecidos por um dispositivo simples e prático, o descongelador eletrônico de sêmen.

Trata-se de um cilindro de 22 cm de altura e 75 mm de diâmetro com capacidade para descongelar até 10 palhetas finas ao mesmo tempo, e todas podem ser retiradas do botijão de nitrogênio de uma vez só. Além de agilizar o processo de inseminação, o equipamento reduz os riscos à qualidade das doses de sêmen que continuam no recipiente. No método convencional, as doses são retiradas uma a uma do botijão. “Mesmo que sejam tomados todos os cuidados, há a possibilidade de um dano acumulativo ao material genético”, diz Ricardo Reuter Ruas, o médico veterinário que desenvolveu o aparelho, chamado Fertilize.

Ruas ressalta como um dos fatores positivos a eliminação da variação de resultados pela ação da mão-de-obra durante o descongelamento. Isso porque é essencial aguardar o período de 30 segundos com a palheta imersa em água à temperatura de 35°C. Ele relata serem comuns situações em que não se respeita o tempo necessário, e aí acontece o que se chama de descongelamento “na vaca”, quando ocorre no ambiente. Se este processo for lento, o sêmen pode cristalizar e ter comprometida sua qualidade fecundativa.

Por ser um processo eletrônico, a temperatura da água fica estável, no nível adequado. Dispensa termômetro e relógio, uma luz verde indica quando está no ponto. No modo tradicional, a água para descongelar o sêmen é controlada por um termômetro. Toda vez que a temperatura cair, é preciso fazer um ‘tempero’ da água para mantê-la em torno dos 35°C.

 

Uso correto Como para qualquer aparelho tecnológico, seguir as instruções do fabricante é determinante na obtenção do melhor desempenho. Aqui vão algumas delas. É recomendável que o Fertilize seja colocado próximo ao botijão, para que o inseminador tenha acesso físico aos dois equipamentos. Assim, o sêmen vai mais rapidamente do botijão até o descongelador, que já deve estar pronto, com a água na temperatura apropriada.

Caso o botijão não esteja próximo ao local onde será realizada a inseminação, pode-se descongelar o sêmen e transportá-lo em uma garrafa térmica. O material pode ser mantido nesta condição por até 90 minutos. “Antes de utilizar a garrafa, é preciso lavá-la com água quente, para evitar quedas de temperatura”, explica Ruas.

Devido à praticidade, tem aumentado a demanda do descongelador para utilização em sistemas de inseminação artificial em tempo fixo (IATF), pois, em geral, o processo envolve grande número de animais e as jornadas de trabalho são longas. Nestes casos, é preciso atenção especial com a temperatura ambiente. Se estiver acima dos 35°C, uma luz vermelha e outra verde piscarão, de forma intermitente, indicando que é necessário retemperar a água e aguardar até que esteja na temperatura correta para retomar o trabalho.

O Fertilize deve ser utilizado sob a sombra, não pode receber ação direta da luz do sol, até porque os espermatozoides são sensíveis aos raios solares. Deve-se prestar atenção ao local onde o aparelho está posicionado, pois, dependendo do horário, os raios do sol podem entrar por baixo do telhado e prejudicar o sêmen.

O equipamento é bivolt (automático), podendo ser utilizado tanto em instalações de 110 V como de 220 V. Na verdade, o aparelho trabalha em uma faixa de tensão que vai de 80 V a 260 V. “Se houver qualquer variação, ele mesmo corrige a diferença. Não é necessário interromper o serviço e nem haverá queda na qualidade do sêmen”, garante Ruas.

 

Inseminação comunitária – O descongelador de sêmen também tem contribuído para a democratização do melhoramento genético e da tecnologia. Ruas conta que, em determinadas regiões, há inseminadores que vão de moto atender pequenos produtores. O aparelho também é apresentado em versões alimentadas com tensão de 12 V, que podem ser ligadas à bateria do veículo. Se o inseminador estiver de carro, também há um modelo para ser ligado ao acendedor. “O equipamento é carregado com a água aquecida e, quando chega à fazenda, já está pronto para utilização”, completa o veterinário. O movimento do transporte não é problema, pois o Fertilize tem uma tampa de borracha.

Fonte: http://www.boipesado.com.br/ReproducaoNoticia.aspx?codigoNot=214&DESCONGELADOR+DE+SEMEN+DINAMIZA+O+MANEJO+REPRODUTIVO+DE+BOVINOS+E+REDUZ+O+NUMERO+DE+DOSES+POR+CONCEPCAO

Últimas notícias

Fique por dentro de nossas novidades

Cadastre-se e receba informações sobre a Evolução na Pecuária.