Fertilize nas redes sociais:
Dúvidas? ligue: (31) 3109-4109 | (31) 99115-6484 | (31) 9956-56484

Artigos

Guia sobre a História da Inseminação Artificial no Brasil

Equipe Fertilize

A história da inseminação artificial de bovinos no Brasil

Estima-se que de 12% a 15% das matrizes brasileiras sejam inseminadas.

Vantagens da Inseminação Artificial: 1. Controle de doenças sexualmente transmissíveis, 2. Melhoramento genético, 3. Economia, 4. Padronização dos rebanhos, 5. Redução de acidentes com trabalhadores, 6. Redução de acidentes com vacas, 7. Mais descendentes de um mesmo produtor, 8. Cruzamento entre raças mais fácil, 9. Controle de dados sobre o rebanho, 10. Utilidade para touros incapacitados para a monta.

Vantagens da Inseminação Artificial

O início da história no mundo  O primeiro registro sobre a Inseminação Artificial em bovinos aconteceu em 1899, em um livreto publicado em Londres, onde relatou-se sobre IA em vacas e ovelhas para solucionar problemas de infertilidade.

Em 1942, houve o primeiro experimento de transporte a longa distância de sêmen bovino no Brasil, transportando-o de avião. A partir disso, o transporte de sêmen passou a acontecer por avião e trem na região Nordeste.

Em 1944 houve o primeiro curso de capacitação prática para inseminadores, no Rio Grande do Sul, e no ano seguinte, no Rio de Janeiro, criou-se um documento que regulamentava a aplicação da IA no Brasil

Em 1958, por meio de uma visita de 4 meses do Dr. David E. Bartlett, veterinário da ABS (empresa então sediada nos EUA), foi introduzido no Brasil o método de conservação do sêmen congelado com nitrogênio líquido.

Na década de 1970, centros de processamento e tecnologia de sêmen começaram a ser criados, tanto na região Sudeste quanto nas regiões Sul e Nordeste. Em 1974, houve a criação do CBRA — Colégio Brasileiro de Reprodução Animal e da ASBIA — Associação Brasileira de Inseminação Artificial.

Um grande marco da história recente da IA no Brasil foi o início da prática da IATF — Inseminação Artificial a Tempo Fixo, que aconteceu por volta de 2001. A IATF é uma grande evolução porque promove uma maior produtividade com mais agilidade na produção e melhora genética do rebanho. Em 2007, a técnica teve um grande impulso no Brasil.

Outra evolução na IA aconteceu pela introdução da tecnologia do sêmen sexado no mercado, por volta de 2005. A determinação do sexo por meio do sêmen acontece a partir da separação entre os espermatozoides com cromossomo X e os espermatozoides com cromossomo Y.

1935 - Início da aplicação da técnica em bovinos no estado de São Paulo 1938 - Criação de uma subestação de pesquisas com foco no estudo e no desenvolvimento da IA em Pindamonhangaba - SP

1945 - Regulamentação da IA no Brasil 1953 - Instalação do primeiro banco de sêmen congelado da América do Sul, no Rio de Janeiro

1954 - Primeiro experimento com sêmen congelado no Brasil, com 24 vacas (e taxa de prenhez de 54,2%)

1974 - Início do CBRA — Colégio Brasileiro de Reprodução Animal e da ASBIA — Associação Brasileira de Inseminação Artificial  2001 - Início da prática da IATF no Brasil

 

Para a garantia do processo de Inseminação Artificial ou IATF com bons resultados, os cuidados no armazenamento e no descongelamento do sêmen são fundamentais. Veja algumas dicas:

Cuidado ao pegar as palhetas do botijão de nitrogênio A cada vez que abrimos o botijão de nitrogênio, as palhetas que continuam armazenadas sofrem choque térmico. Para reduzir as vezes em que o caneco do botijão é suspenso, a recomendação é de pegar mais de uma palheta por vez.

Últimas notícias

Fique por dentro de nossas novidades

Cadastre-se e receba informações sobre a Evolução na Pecuária.