Fertilize nas redes sociais:
Dúvidas? ligue: (31) 3109-4109 | (31) 99115-6484 | (31) 9956-56484

Blog

Dicas para garantir o retorno do seu investimento com o manuseio do botijão de sêmen bovino

Você já imaginou ter um investimento alto em doses de sêmen desperdiçado por conta de um detalhe simples como o manuseio das palhetas e do botijão? Durante a inseminação, é comum que a pessoa responsável pelo processo dê total atenção às doses que serão descongeladas e utilizadas na hora mas, enquanto isso, as doses estocadas são prejudicadas.

Isso acontece muito frequentemente, quando as palhetas que ficam na parte de cima das racks são afetadas por contato excessivo com a temperatura ambiente. Já divulgamos em nosso site vários experimentos que comprovam a relação direta do manuseio do sêmen com a qualidade das inseminações realizadas, o que influencia diretamente na taxa de prenhez das inseminações seguintes.

É por isso que, no post de hoje, vamos dar dicas simples para o manuseio correto do botijão. Veja como você facilmente conseguirá melhores resultados para a fazenda:

 

Preste atenção ao quanto você suspende o caneco do botijão

Em um botijão de nitrogênio convencional, a temperatura ideal de congelamento e armazenamento do sêmen (80 ºC negativos) é conservada a uma altura de, no máximo, 7 cm abaixo da boca do botijão.

No momento da elevação do caneco para a retirada de uma ou mais doses, as doses que ficam no caneco também são expostas à temperatura ambiente, e o início do descongelamento acontece. As palhetas restantes, então, passam por essa variação de temperatura e voltam ao congelamento.

Por isso, quando for suspender o caneco, siga a recomendação da Asbia — Associação Brasileira de Inseminação Artificial: deixe o caneco do lado de dentro, a uma distância máxima de 7 cm da boca do botijão.

 

Utilize pinça para retirada das palhetas de sêmen

Utilizar os dedos para pegar e transportar as palhetas é outra medida que prejudica a qualidade do sêmen a partir do choque térmico. Além disso, essa prática é extremamente prejudicial a quem faz a inseminação, que constantemente queima os dedos com o frio do nitrogênio. Por isso, o uso da pinça é fundamental.

Outra dica importante é retirar mais de uma palheta por vez. Com uma retirada de um número maior de palhetas, você acaba abrindo o botijão menos vezes e, com isso, causa menos choques térmicos nas doses restantes.

Hoje, no mercado, existem pinças desenvolvidas especialmente para essa finalidade de transporte das doses com mais conforto durante o processo e que, principalmente, permitem pegar mais de uma palheta por vez.

Outra dica importante é retirar mais de uma palheta por vez. Com uma retirada de um número maior de palhetas, você acaba abrindo o botijão menos vezes e, com isso, causa menos choques térmicos nas doses restantes.

 

Cuidado com o tempo de exposição das palhetas à temperatura ambiente

Para o sêmen que fica armazenado no nitrogênio, alguns segundos na temperatura ambiente podem ser motivo para longos choques térmicos! De acordo com a Asbia, o tempo máximo de exposição das palhetas é de 5 segundos. Quanto maior for o tempo de choque térmico, do lado de fora do botijão, maior será o dano para as palhetas que voltarão para o estoque.

No caso das fazendas que fazem uso do sêmen sexado, essas recomendações são ainda mais importantes: o sêmen sexado é mais sensível ao choque térmico.

De qualquer forma, independentemente do tipo da Inseminação Artificial que é praticada na sua fazenda, é importante lembrar que a IA é um processo que exige precisão, agilidade e padronização. Já pensou em como a tecnologia pode te ajudar nisso? Veja a nossa oferta de produtos e perceba como algumas mudanças específicas podem alavancar os seus resultados! 

Últimas notícias

Fique por dentro de nossas novidades

Cadastre-se e receba informações sobre a Evolução na Pecuária.